30 de mar de 2010

a Imprensa e os governos populares

Em nossas relações, todos temos interesses. Todo homem e toda mulher, noventa e nove virgula nove por cento de nós, somos sempre chamados a dar uma opinião. Quando não, nossa cabeça sempre funciona como um "tribunalzinho". Ao notarmos um fato ou uma coisa, estabelecemos nosso juizo sobre esta coisa ou este fato.



Este juizo que fazemos sobre as coisas, a partir de nossa capacidae de julgar, é algo que chama a atenção e é algo muito valioso. As vezes, este ato de julgar que as pessoas (nós) possuem, torna-se objeto de trabalho de muitos profissionais e estudiosos, tais como sociólogos, psicólogos, gestores de RH, políticos, padres, pastores, publicitários, juristas, filósofos, comerciantes, gestores de negócios, analistas, entre outros.

Mas no dia a dia é possível perceber que cada um e cada uma das pessoas se colocam, quando as condições objetivas estão dadas, de modo muito capaz e audacioso, na tomada de decisões e formulação de opiniões sobre este ou aquele assunto.

No caso da política, lógico, não é diferente. O problema é que os temas políticos são muito chatos, e muitas vezes não temos tempo para aprofundar pressupostos e teorias para termos claro quais são as verdadeiras intenções sobre as ações e as mesagens políticas trazidas pelas lideranças de nosso país, de nosso estado e de nossas comunidades.

Tenho me preocupado com a qualidade do debate político. Um dos grandes responsáveis pela opinião que o público forma sobre este tão complexo tema é originado pela ação da imprensa. Isto coloca para todos nós mais desafios. Pois todos os setores da imprensa possuem seus interesses e suas necessidades. A grande maioria, legítimos. Contudo há setores que desempenham papel pouco confiável na divulgação de fatos e na organização de assuntos e temas que envolvem os diversos interesses das comuniades.

No nosso caso, aqui no Alto Tietê, mais especificamente na cidade de Suzano, a atuação do DAT (Diário do Alto Tietê) é emblemática. Trata-se de um jornal no mínimo muito confuso. Quem acompanha o jornal poderá entender melhor o que estou tentando dizer. É um jornal que atualmente funciona como linha auxiliar do poder reacionário local. Até ai não vejo muitos problemas, apesar de saber que posição como esta exige que a qualidade do debate seja muito melhor do que é. E quem perde com isto é o próprio jornal e seus leitores.

Mas por outro lado tem algo ainda mais grave. É o fato do jornal contar meias verdades e formular temas mentirosos e inconsequentes.

Combater este tipo de coisa não é muito simples. Demanda tempo e muito trabalho. É necessário observar o tempo que as pessoas devem percorrer para conseguir digerir tamanha quantidade de informação que é colocada, e muitas vezes, desenvolvida de modo caótico e desconexo. Contudo ao ler a edição do Jornal Suzano Agora - publicação do Governo Popular de Suzano - Achei que seria importante fazer uma comparação e uma crítica ao conteúdo deste jornal.



Se você leu este texto até aqui, sugiro que você possa fazer o exercício de comparar esta edição do jornal Suzano Agora, com as próximas edições do DAT. Com certeza você vai perceber de modo mais claro como se dá a disputa política na cidade. E como parte da imprensa abre mão de seu papel, perde-se na defesa de interesses ilegítimos, joga no lixo a ética, e tenta fazer o leitor de bobo.






Temos a possibilidade de explorar vários aspectos neste exercício proposto:

1 ) É correto veículos de imprensa tomar partido político?

2) O Poder Público, ao emitir sua própria mídia, fortalece o direito do cidadão em ter acesso a informação e a verdade dos fatos?

3) O conteúdo dos jornais, em comparação, organizam a notícia e os asuntos com a profundidade, os pressupostos reais e a correta abordagem jornalística?

Além de muitos outros pontos que poderíamos abordar. Mas como disse, esta tarefa é demorada e muito trabalhosa. Mas de qualquer modo temos a vida toda pela frente... com certeza valerá a pena enfrentar esta empreitada.

Abraço  todos.

29 de mar de 2010

A Solidariedade e a Convergência

A nossa natureza, humana, é mesmo maravilhosa. Temos a capacidade de construir e organizar novas possiblidades e novos caminhos de modo extremamente criativo e contagiante.



Tendo a oportunidade de colaborar e participar da organização do "futebol solidário", atividade idealizada por um grupo de juventude da Cidade de Suzano, foi possível constatar o empenho, a simplicidade, a capacidade de organização com poucos recursos disponíveis, mas que por outro lado, extremamente abundante e rica na capacidade de distribuir alegria e esperança a todos.



Todo o movimento foi uma convocação da juventude e das jóvens mulheres para que todos nós, adultos, homens e mulheres nos lancemos na esteira da construção da cidadania, da participação e da construção do direito para todos.



Elaborei um pequeno filme que resume, por um aspecto, vários momentos deste acontecimento. É uma pequena homenagem a toda essa moçada que num domingão à tarde fez com que mais de 200 pessoas trocassem a sala de casa, o futebol paulista, o programa de tv de domingo pela realidade da comunidade, da cidade e da própria juventude, que em coro fez um trabalho para sí própria, para as famílias vítimas das enchentes e para todos que de algum modo, criaram algum vínculo com toda esta energia, alegria e vontade de transformação.



Foi muito bom ter podido estar lá.

15 de mar de 2010

As maneiras de contar um mesmo fato

Se história da Chapeuzinho Vermelho fosse verdade, como ela seria
contada pela imprensa burguesa do Brasil?

Jornal Nacional
(William Bonner): 'Boa noite. Uma menina chegou a ser devorada por
lobo na noite de ontem....'
(Fátima Bernardes): '...mas a atuação de um lenhador evitou a tragédia.'


Programa da Hebe
'...que gracinha, gente! Vocês não vão acreditar, mas essa menina
linda aqui foi retirada viva da barriga de um lobo, não é mesmo?'

Cidade Alerta
(Datena): '...onde é que a gente vai parar, cadê as autoridades? Cadê
as autoridades? A menina ia pra casa da vovozinha a pé! Não tem
transporte público! Não tem transporte público! E foi devorada viva...
um lobo, um lobo safado. Põe na tela, primo! Porque eu falo mesmo, não
tenho medo de lobo, não tenho medo de lobo, não!


Superpop
(Luciana Gimenez): 'Geeente! Eu tô aqui com a ex-mulher do lenhador e
ela diz que ele é alcoólatra, agressivo e que não paga pensão aos
filhos há mais de um ano. Abafa o caso!'

Globo Repórter
(Chamada do programa): 'Tara? Fetiche? Violência? O que leva alguém a
comer, na mesma noite, uma idosa e uma adolescente? O Globo Repórter
conversou com psicólogos, antropólogos e com amigos e parentes do
Lobo, em busca da resposta. E uma revelação: casos semelhantes
acontecem dentro dos próprios lares das vítimas, que silenciam por
medo. Hoje, no Globo Repórter.'


Discovery Channel
Vamos determinar se é possível uma pessoa ser engolida viva e sobreviver.

Revista Veja
Lula sabia das intenções do Lobo.


Revista Cláudia
Como chegar à casa da vovozinha sem se deixar enganar pelos lobos no caminho.

Revista Nova
Dez maneiras de levar um lobo à loucura na cama!

Revista Isto É
Gravações revelam que lobo foi assessor de político influente.


Revista Playboy
(Ensaio fotográfico do mês seguinte): ' Veja o que só o lobo viu'.


Revista Vip
As 100 mais sexies - desvendamos a adolescente mais gostosa do Brasil!

Revista G Magazine
(Ensaio com o lenhador) 'O lenhador mostra o machado'.

Revista Caras
(Ensaio fotográfico com a Chapeuzinho na semana seguinte): Na banheira
de hidromassagem, Chapeuzinho fala a CARAS: 'Até ser devorada, eu não
dava valor pra muitas coisas na vida. Hoje, sou outra pessoa.'

Revista Superinteressante
Lobo Mau: mito ou verdade?

Revista Tititi
Lenhador e Chapeuzinho flagrados em clima romântico em jantar no Rio.

Folha de São Paulo
Legenda da foto: 'Chapeuzinho, à direita, aperta a mão de seu
salvador'. Na matéria, boxe com um zoólogo explicando os hábitos
alimentares dos lobos e um imenso infográfico mostrando como
Chapeuzinho foi devorada e depois salva pelo lenhador.

O Estado de São Paulo
Lobo que devorou menina seria filiado ao PT.

O Globo
Petrobrás apóia ONG do lenhador ligado ao PT, que matou um lobo para
salvar menor de idade carente.

O Dia
Lenhador desempregado tem dia de herói

Extra
Promoção do mês: junte 20 selos mais 19,90 e troque por uma capa
vermelha igual a da Chapeuzinho!

Meia hora
Lenhador passou o rodo e mandou lobo pedófilo pro saco!

O Povo
Sangue e tragédia na casa da vovó.

Correio da Bahia e TV Bahia
Menina usando um chapeuzinho vermelho é atacada por um lobo e fica na
mão - não consegue atendimento em nenhum hospital do Estado.
Governador do PT não se manifesta.

Diário de Suzano
Suzanensses temem a presença de Lobo Mau.

Diário do Alto Tietê (na verdade PAT: Partido do Alto tietê)
Candido prometeu acabar com o Lobo Mau: não cumpriu.

Tribuna Suzanensse
Até para acabar com o Lobo Mau o Governo do Alcaide é incompetente.

Programa da Mariley
Nossa, este mundo está mesmo condenado, o governo do PT não cosegue dar conta
do Lobo Mau, o Marcelo até que é um carinha legal, educado e inteligente, mas este
PT, deve ter colocado o Lobo Mau na lista do mensalão.

9 de mar de 2010

Trabalhadores do Comércio Alternativo em Suzano

Construído sobre os pilares da organização dos trabalhadores, da economia solidária e da capacitação do poder público em atender à demanda, o programa voltado aos trabalhadores do comércio alternativo em Suzano,  entra em uma fase decisiva para seu sucesso. Depois de várias etapas percorridas, temos tudo para colocar o programa em um novo patamar de organização e sistematização que garantirá seu pleno sucesso.


Os trabalhadores organizados em associação construíram, com a ajuda do governo municipal, parcerias importantes com o SEBRAE, Sesi, Senai e Banco do Povo Paulista. Isto permite, à categoria, fortalecer ainda mais sua organização e dar a oportunidade necessária para que trabalhadores e trabalhadoras possam ter acesso ao aperfeiçoamento técnico e profissional para o desenvolvimento e aperfeiçoamento de suas funções no desempenho de suas atividades. Nesta fase foi possível promover cursos de capacitação em informática, técnicas comerciais, manipulação de alimentos e gestão de negócios. E várias outras etapas de formação e acesso a conhecimentos estão previstas.
No campo da economia solidária, a associação dos trabalhadores e o governo municipal tem incentivado cada membro a se comprometer com uma dinâmica de construção da atividade econômica baseada na auto-gestão coletiva e no compartilhamento de recursos técnicos e operacionais de trabalho, que fortaleçam o empreendimento, que será construído, mas que já possui uma fase embrionária em execução: o chamado "Bazar Popular".



A capacitação do Poder Público para atender a esta demanda compreende a elaboração do arcabouço legal adequado, a destinação de recursos públicos, e a formulação de parcerias entre o setor privado e trabalhadores organizados de modo articulado em um programa amplo de capacitação, construção do empreendimento e estabelecimento das regras de funcionamento.

O fim último de toda esta política tras como resultado a inclusão social de setores que, historicamente, ficaram a margem da cidade legal e do desenvolvimento sustentável. Além do combate à corrupção e do fortalecimento da participação popular.

Contudo tal programa não é, e nunca será, unanimidade em nossa cidade. Setores dos próprios trabalhadores preferem permanecer à margem da cidade legal, e preferem manter sua atividade na clandestinidade. Isto permite que alguns poucos possam, a partir da exploração e da alimentação de um ambiente fértil para a corrupção e à venda de produtos ilegais, possam, mesmo que temporariamente e de modo leviano, perceber vantagens financeiras.

Outro ponto que merece atenção, é o uso indevido, populista, oportunista e irresponsável que setores da política local, alguns deles travestidos de imprensa regional, fazem desta situação complexa, que em última instância, trata-se de uma patologia social alimentada por vários anos de ausência de política pública para esse setor da população. 

Falo mais especificamente da postura do Jornal "Diário do Alto Tietê" de hoje (09mar2010), e de setores da câmara Municipal de Suzano, capitaneados por seu presidente, aquele que não presta conta dos recursos públicos que estão sob sua gestão, em tentarem promover uma situação desfavorável, através de mentiras e de dados incorretos sobre o projeto e sobre o alcance do programa.

Mas ainda bem que acordaram tarde para atrapalhar este Programa do Governo Popular, dos Trabalhadores e da Iniciativa Privada. Pois hoje existem entendimentos suficientes entre amplos setores da população, os trabalhadores, em sua ampla maioria, estão organizados, e a iniciativa privada está estimulada para investir e se inscrever neste projeto e participar do programa.

Contudo a etapa de aprovação do projeto de lei na câmara municipal é essencial para o avanço desta política. Por isso conclamamos aos trabalhadores organizados que conversem com os vereadores e peçam para que, a maioria, tenham o bom senso em fazerem tramitar com rapidez este projeto que se encontra na câmara municipal desde outubro do ano passado.

4 de mar de 2010

Bastidores da Política

A política enquanto atividade e ação humana deve ter em conta o bem comum, porém possui suas contradições.

Resolvê-las é um processo de dimensões históricas e podem estrapolar o nosso tempo. Contudo faz parte desta tarefa, em desvendá-la, [sua contradições], uma acão quase microscópica, que é deixar claro seus bastidores. Os bastidores da política.

Não estou louco....  isto é possível .......

O editorial no "site" da prefeitura de Suzano, uma cidade da região metropolitana de São Paulo na provincia de mesmo nome, aqui no Brasil, demonstra uma reflexão, um tanto rebuscada para quem não está "antenado" aos processos de disputa política, que ocorrem aqui nesta região. Porém muito especial e elucidador.

Revelam elementos dos bastidores da condução contraditória, e as vezes, até criminosa, da política.

Este artigo editorial desvenda, de modo profundo, como forças covardes e sem o compromisso com o processo democrático, se colocam a serviço dos poderes reacionários de dominação da população e de desorganização dos meios objetivos que deveriam estar a serviço da vida, mas que na verdade, são colocados a serviço de interesses quase criminosos.

Servem apenas para deconstrução da sociedade, da justiça e da vida.

Deguste o texto abaixo.... além de extremamente esclarecedor, nos provoca a aprofundar nossos estudos e pesquisas para nos apropriarmos cada vez mais das ferramentas do conhecimento que colocará a todos em patamar de igualdade para enfrentar estes nefastos que vivem entrem a "lama e a extorsão".

Boa leitura......

 __________________________________________________________________________________

Editorial: a serviço de quem?

   
No livro Os Elementos do Jornalismo: o que os profissionais de jornalismo devem saber e o que o público deve exigir [Geração Editorial], os jornalistas norte-americanos Bill Kovach e Tom Rosenstiel afirmam que “Nós estamos enfrentando a possibilidade de o noticiário independente ser substituído por interesses comerciais apresentados como notícia". Para azar do Alto Tietê, por aqui isso não é mais uma possibilidade. Já é realidade, o que infelizmente não pode ser tido como privilégio.

Temos exemplos de jornais que se autointitulam como “de serviço”, mas falta dizer a serviço do que e, principalmente, de quem. São os famosos “interesses inconfessáveis” [esta expressão é ótima e precisa!].

Certa vez, um desses jornais que se dizem “de serviço” fez, em seu editorial, uma comparação entre o então candidato democrata à Presidência dos Estados Unidos, Barack Obama, e o prefeito de Suzano. Assim dizia: “a mudança, nos Estados Unidos, parece estar se dando carregada por Obama. Em Suzano, a transformação se deu há quatro anos, quando [cita o nome do prefeito] venceu as eleições, quebrou a tradição e começou a implantar o novo enfoque, menos vultoso e mais modesto, mas operoso, voltado para as bases.”

E na sequência, finaliza: “na época da ditadura, falava-se que o que era bom para os Estados Unidos era também bom para o Brasil. Naquele momento, não era verdade. Hoje, diante da análise acima, tem sentido.”

Algum tempo depois, esse mesmo veículo mudou completamente sua postura e passou a atacar a Prefeitura por meio de suas reportagens, sem dizer, de forma clara e explícita, o porquê desta guinada. A partir de um certo momento, a administração que o jornal chamava de moderna e voltada para as bases [ou seja, o povo], passou a ser atacada de forma rasteira e desrespeitosa, como se todos os problemas da cidade tivessem surgido em 2005.

Com isso, o veículo jogou no lixo os princípios mais elementares do jornalismo e, de forma mais acentuada nas últimas semanas, vem ferindo a honra do prefeito, uma autoridade eleita e reeleita legitimamente pelo povo de Suzano. E faz isso com declarações que demonstram total desequilíbrio e o mínimo de sanidade.

De uma hora para outra, o jornal de serviços deixou de divulgar importantes serviços que são prestados pela Prefeitura à população de Suzano, como se não existissem mais as campanhas de prevenção a doenças e as melhorias na Santa Casa de Misericórdia, que ampliou o horário de visita aberta. Isso para citar apenas o exemplo da saúde.

Reiteradamente, esse jornal publica apenas o que lhe é conveniente, esconde a verdade e distorce os fatos.

Por tudo isso, a Prefeitura de Suzano deixa claro que não vai ceder a qualquer tipo de chantagem. Como dizia o filósofo grego Platão, “a verdade é tudo o que explica como as coisas são, e a mentira, como as coisas não são”.

Secom

Secretaria de comunicação social do município de Suzano-SP, Brasil.

2 de mar de 2010

Bom Dia Suzano

Um belo dia. Isto é o que mostra esta foto, que tive a oportunidade de tirar a partir da janela de meu quarto nesta manhã por volta das 6h30. Tomara que seja.


Mas é necessário que todos nós possamos cotinuar nossa luta, que passa por todas as dificuldades e obstáculos, mas que também é repleta de alegria e esperânça. Quando aprofundamos nossa convicão, a cada dia,  e sabemos que todas as comunidades podem e devem se auto construir a cada momento, basta responder com sabedoria e com amor toda a obra da criação e com coragem e determnação a luta pelo direito e pela igualdade e pela justiça.

Como diz José Martim, um grande latino americano: os direitos não se pedem se conquistam. Se arrancam não se mendigam.

OS TRABALHADORES DO COMÉRCIO ALTERNATIVO ORGANIZADOS.

Em reunião promovida pela Associação Comunitária dos Ambulantes de Suzano, foi discutido a situação e o momento atual em que se encontra o programa de capacitação e regularização do comércio alternativo na cidade.

Em 03 de março deste ano, as 15h, ocorrerá audiência pública na Câmara Municipal de Suzano que esperamos, o intuito seja dar a conhecer mais um pouco o projeto e agilizar seu processo de aprovação, isto é o que espera os Trabalhadores e Trabalhadoras organizados na associação.


Contudo, por se tratar de um projeto do Governo Popular, os asbestos da ideologia dominante e refratários ao povo, entrincheirados na câmara municipal e outra parte deles disfarçados de imprensa regional, aqueles que não prestam conta de seus atos e do dinheiro público que está sob sua responsabilidade, podem se posicionar para atrapalhar e atrasar o projeto. Tomara que não.