08/05/2012

IFAB se destaca como uma das primeiras instituições a fazer um debate público sobre redução de danos em drogas no Alto Tietê.


Vanguarda: Redução de Danos - Drogas sob outra perspectiva

No ultimo dia 23 de maio, o IFAB (Instituto de Formação Augusto Boal), realizou o primeiro debate público sobre Redução de Danos em Drogas na cidade de Poá como assunto do projeto Segundas Intenções, encontros de reflexão e debate organizado mensalmente pelo instituto; no mês de abril foi destacado o tema Redução de danos (Outra perspectiva sobre as drogas). A atividade contou com duas importantes colaborações que trataram o tema com a sensibilidade e responsabilidade exigida, o psicólogo e vice- presidente do Centro de Convivência "É de Lei" Thiago Calil e o Educador Terapêutico do Projeto Quixote Artur Lauande Mucci, compartilharam as experiências das entidades em que trabalham e apresentaram um panorama sobre as políticas de redução de danos no Brasil e no mundo.

Com a participação de professores, psicólogos, assistentes social, jovens e representantes de entidades de Poá e região, a ação iniciou com bastantes expectativas dos presentes, assim percebemos o quanto ter novas referencia sobre a questão das drogas é necessário “... eu vim ao debate por ter uma breve informação em um curso que participei, quero saber mais" disse a assistente social Dora.

Entre outras abordagens, foi discutida a distribuição de insumos aos usuários de drogas como, seringas, pipetas e inaladores (medidas preventivas às doenças contagiosas), a legalização das drogas, a humanização dos usuários e a droga como uma realidade da sociedade na historia. Desta forma, foi apontada a grande dificuldade de avançarmos com as políticas de redução de danos, apesar de estas estarem no arco de prioridades do planas nacionais antidrogas; o moralismo dos governos e o velho conceito de combate as drogas, imperam as políticas públicas nas cidades e estados brasileiros comentaram os presentes.

No debate Artur Mucci, declarou que as políticas de redução de danos quer tratar dos indivíduos com as suas especificidades, isso nem sempre responde aos números, o que o Estado não quer saber "A redução de danos é um conjunto de ações, é a conversa com o usuário, é "o entender" o outro, coisas que pelos estigmas criados a ele na maioria das vezes não acontece" afirmou o educador.

O psicólogo Thiago Calil,apresentou um breve relato da experiência da entidade da qual é vice presidente "Nós conduzimos os trabalhos no centro de convivência "É de Lei", proporcionando atividades artísticas e culturais como alternativa às drogas, conquistamos a participação de pessoas que estavam morando na Cracolândia ( na cidade São Paulo ), não é uma tarefa fácil ao usuário dependente do crack, para nós a tática foi do ouvir, sentir o que aquelas pessoas têm  a falar".    

Com bastante expectativa de não encerrar o debate naquela noite, a direção do IFAB pretendeu semear uma nova frente de reflexão às questões das drogas, que nos últimos anos tem sido um constante problema na vida de centenas de  mulheres e homens, jovens e crianças da sociedade    " ...temos que ser humanos e realistas, as drogas são um assunto recorrente nas escolas, nas ruas, na sociedade a redução de danos vem para minimizar os sofrimentos dos usuários, partindo da ideia de que o usuário faz parte desta sociedade" completou o presidente do IFAB Neto Cano Herédia.

O evento, que acontece mensalmente, foi sediado na Casa de Orações do Batuíra e  marcou posicionamento sobre um novo olhar com relação as drogas, as perspectivas para a sociedade. Sobretudo pautou a necessidade de entendermos o tema como um assunto de caráter público. Entretanto, teve como objetivo proporcionar aos  participantes, ferramentas que  instrumentem a luta por política públicas humanizadas e efetivas aos cidadão,  assim,  o IFAB pretendeu mais uma vez provocar, discutir e refletir através de um  de seus projetos o "Segundas Intenções".    






Nenhum comentário:

mais lidos