10 de ago de 2011

Parque Max Feffer em Suzano-SP recebe Encontro das Indústrias.

Setor público, setor produtivo e sociedade organizada encontram-se em evento importante que foca o desenvolvimento industrial e de serviços da região do Alto Tietê.

Idealizado pelo Governo Popular de Suzano, conforme consta em programa de governo desde 2005, a terceira edição ocorre em momento importante para as comunidades da região e para o Estado de São Paulo. A crise do modelo de desenvolvimento capitalista, que ganha novas proporções nesta semana, será enfrentada, também, por iniciativas como esta.

O verdadeiro sustentáculo da sociedade contemporânea e de sua evolução fundamenta-se em suas capacidades políticas e culturais. Organizar o setor produtivo em sintonia com a sociedade organizada e o setor público é uma ação estratégica. Para o momento, passa a ser também uma ação de sobrevivência e construção de novas alternativas.

Avançar no espaço existente entre a concentração de capital e a pobreza é um dos "nortes" que este encontro das industrias deverá apontar. Nossa capacidade de "consumo responsável e necessária" aliada a nossa capacidade de produção, fará com que os mercados internos continuem aquecidos.

Considerando  que o vetor da crise capitalista está mais forte nas economias centrais, é hora para uma tática de importar e investir em mais tecnologia para os setores que temos ainda deficiências.

Por outro lado, neste espectro de crise, fica mais clara a oportunidade para verificarmos suas reais amplitudes e intensidades. Muito do que ocorre hoje é pura ideologia e divulgação de percepção construida pelo olhar daqueles que detêm algum controle sobre um sistema baseado na "financerização"  e o "midiatismo" de nossa economia.

A resposta concreta e objetiva só é dada pela vida real. Esta ocorre nas ruas, nas comunidades, nas fábricas, no campo e no encontro do setor produtivo, setor público e sociedade organizada. Nosso combutível é o trabalho.

Não lutamos decadas a fio por nada. A organização política, pela participação de amplos setores, e o fortalecimento diário de nossa cultura  é nossa real segurânça. Viver não em preço. Viver com força, energia e comprometimento é uma opção. Esta, parece, o Brasil fez...

Nenhum comentário: