12 de nov de 2010

Suzano 64 bits

Preparada para o futuro, a cidade de Suzano caminha sintonizada com os avanços do Brasil. Com uma rede de saúde pública sendo reconstruída e aprimorada deverá sofrer menos com o colapso, já previsto, da rede privada na cidade. No campo da infraestrutura, depois de anos sem investimentos, R$ 160 milhões de reais, aproximadamente, foram investidos em serviços básicos como pavimentos, iluminação e saneamento pelo atual governo popular, e cerca de R$ 180 milhões estão sendo previstos para os próximos 24 meses.

Na área de educação, um novo padrão de construção de prédios escolares foi estabelecido. Foi dado fim às escolas de madeira, e mais importante que isto, rompeu-se definitivamente, com o pensamento medíocre, que insistia em dizer que prédio público, principalmente para a periferia, poderia ser apenas um galpão coberto, separado por paredes de madeira e uma pinturazinha. Este pensamento, também, era presente nos processos vitais da relação ensino aprendizado. Professores eram contratados emergencialmente, não possuiam plano de carreira e de cargos e salários, e o acesso dos alunos mais pobres ao sistema não possuia nenhuma política de incentivo, como por exemplo, o material, o uniforme, o transporte e a alimentação escolares. Além disto, o município passará a contar, agora, com ensino superior de qualidade voltado para o movimento geral de desenvolvimento sustentável da cidade

Na área de planejamento urbano, a seis anos, vem sendo aperfeiçoado o programa "melhor agora", recuperando políticas e garantido novas, para enfrentar o problema da regularização fundiária, do planejamento urbano, a produção de moradias e a implementação de infraestrutura de modo a integrar: manutenção, novas obras, saneamento e meio ambiente.

Na política, avanços significativos foram dados. A criação de espaços para as conferências municipais em sintonia com os processos de participação nacional, a implementação  e a consolidação da política do orçamento participativo são consquistas importantes. Não obstante, ser esse processo extremamente desafiador e carecer ainda de avanços significativos no aprimoramento e na consolidação do funcionamento dos conselhos de políticas e gestores de equipamentos. Além é claro, da implementação das coordenadorias de política e a implementação das subprefeituras.

Porém a criação de novas políticas e novos direitos como a segurânça alimentar, a defesa social, a prevenção a violência, o trabalho em sintonia com a inclusão e a promoção da cidadania cria, propedêuticos espacos e, relações sociais para, no tempo certo, avançar e consolidar a participação popular.

Resta dizer ainda, que para desafios ainda maiores serem enfrentados, como a implementação da rodoviária municipal, a orla ferroviária,  aprimorar o sistema de transporte público, o sistema viário, a revitalização dos centros de bairro: Dona Benta, Badra, Palmeiras, Parque Maria Helena e área central, a construção e implementação do hosptal público a estratégia do atual governo popular conta com valiosos recursos políticos e de articulação de programas muncipais em sintonia com o PAC2.

Porém é necessário enfrentar um cancer existente na cidade. Trata-se do poder legislativo local. Uma casa de leis que nada produz de qualidade. Nem proposições e nem debate político. A vulgaridade com que trata as autoridades e o público é perversa e depõe contra a grandeza, necessária, de Suzano. São R$ 18 milhões de reais utilizados para fazer disputa política com o governo popular. Vivem em eterno terceiro turno eleitoral, tentando conquistar o poder via tapetão a partir da articulação de artifícios e artimanhas no interior e nos corredores da casa legislativa. O plano diretor da cidade dormita a mais de tres anos naquela casa de leis, sendo peça importante para o desenvolvimento, cria entraves desnecessários e dificulta, ainda mais, a aproximação da população em geral, das intâncias políticas legislativas.

Contudo, como a frase que nomeia este artigo diz: temos agora uma Suzano de 64 bits. Nossa capacidade de processamento, o ciclo dos processos e as tecnologias humanas, em sintonia com a defesa de direitos e a conquista da justiça social podem ser alcançadas, com mais eficácia, nesta nova etapa.

Saudações.

Nenhum comentário: