20 de abr de 2010

UMA CIDADE, UM GOVERNO POPULAR, UM POVO, UMA GREVE


A cidade de Suzano passa por intensas transformações desde janeiro de 2005. Em todas as áreas da política pública, não obstante os avanços que ainda são necessários, aumentou sua presença em serviços, em obras e no fortlecimento da autoestima de sua população. Tudo isso com enfase e com prioridade para a população mais carente.

A estrutura da cidade, assim como é a estrutura do Brasil, trata-se de uma cidade rica, mas que possui um povo empobrecido. O PIB do município é de 6,5 bilhões de reais, porém 48% de nossas famílias percebem uma renda familiar de até dois salários mínimos, destas 23% possuem renda de até 1 salário mínimo.

Nossa cidade a muito tempo carece da implementação de políticas públicas estruturantes, que possam efetivar mudanças além de uma simples conjuntura de governo. Com isto em vista o governo popular estabeleceu parcerias importantes com o governo federal do Presidente Lula e criou: Programa de Saúde da Família (PSF); Programa de Acesso e Permanência de Crianças na Escola (PAP); Programa de Regularização Fundiária; Programa de Segurança Alimentar; Programa de Participação Popular e Programa de fortalecimento e modernização da infraestrutura do município.

Tais programas geraram serviços e obras importantes tais como: restaurante popular, banco de alimentos, uniforme escolar e material escolar para as crianças da rede, Centro de Especialidades Odontológicas, Centro de Atendimento Psicosocial, criação do Teatro Municipal, Construção de Unidades Escolares e o término das escolas de madeira, pavimentação, drenagem e iluminação no Jardim Ikeda; Jardim Leblon; Jardim Planalto; Vila Fátima; Parque Buenos Aires; Jardim Belém; Jardim Itamarcá; Recereio das Palmas; Jardim Nova América; Jardim Caxangá; Jardim Saúde; Ramal São José; Parque Maria Helena Novo; Jardim das Flores; Jardim Europa; Jardim Margareth; Jardim Varam; Jardim Gardênia Azul; Jardim Santa Inês; Jardim Graziela; jardim São Bernardino; Jardim Ferandes; Vila Emilia; Jardim Carmem; Miguel Badra; além do termino das pavimentações do Jardim Santa São José; Vila Urupes; Jardim Maitê entre outros.


Quando o Governo Popular assumiu em janeiro de 2005 haviam apenas duas creches municipais na cidade, hoje são quatorze. Tinhamos apenas duas unidades de saúde no Distrito de Palmeiras, hoje são 7 equipamentos de saúde contando com a UBSF (Unidade Básica de Saúde da Família) da Vila Fátima, conforme decisão do Orçamento Participativo, a Farmacia Popular, a Unidade de Saúde do Jardim Ikeda (reformada), a Nova UBSF no centro de Palmeiras, a UBSF do Jardim do Lago e do Recanto São José, além do PA de Palmeiras que passou a funcionar 24 horas, pois antes na região, se as pessoas precisassem de atendimento de saúde fora do horário de expediente, tinha que se deslocar até o centro da cidade, cerca de 16 km.

Hoje a cidade conta com uma Secretaria de Defesa Social e Prevenção a Violência que antes não existia, possui Secretaria de Meio Ambiente e Secretaria de Participacão Popular de Descentralização. Na estratégia do desenvolvimento econômico e social, temos a Secretaria de Promoção da Cidadania e Inclusão Social junto com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho Negócios e Turismo e a Secretaria de Segurança alimentar, Abastecimento, Nutrição e Agricultura.


Com estas estruturas, que somam um orçamento Municipal apenas duas vezes maior que o Orçamento da Câmara Municipal foi possivel implantar o Orçamento Participativo, a Formulação das Câmaras Executivas Populares, o incremento em 250% do número de familias atendidas pelo Programa Bolsa Família do Governo Federal, além desta política ser fortaleceida com a implementaçnao do Proasf (Programa de assistência socio-familiar), com o Banco do Povo que teve um aumento em mais de 800% dos emprestimos concedidos aos micro empreendedor e todo o Programa de Segurança Alimentar.

São extremamente expressivos os índices alcançados pelo Governo Popular no ámbito da política pública. Mas é necessário adentrar nos meandros políticos aos quais a cidade de Suzano está enfrentando e sendo transformada. Pois como falamos, trata-se de uma cidade rica, mas que possui um povo empobrecido. Esta situação não é possível revertê-la somente com dois períodos de Governo Popular. É necessário que o projeto avance. Para tanto as condiçõe políticas para que isto ocorra veem sendo cosolidadas no município. Porém os setores reacionários da cidade, com pequena parte da classe média, recorrentemente é coopitada pelas estratégias daqueles que por mais de trinta anos dominaram esta cidade e querem, a todo custo, voltar ao poder.

Durante todo este período, nunca um governo foi tão atacado por setores da imprensa, pelo mau uso do Poder Legislativo com uma mioria de vereadores (nove no total) que utilizam os recursos do povo (cerca de 18 milhões de reais) apenas para fazer disputa política, altamente desqualificada com o governo popular.

Porém, hoje, mais um adversário do povo entra em cena a serviço dos setores conservadores e reacionários. Trata-se da direção pelega do sindicato dos servidores local, que se põe a serviço da antiga lógica dominadora existente na cidade e busca, através de uma tentativa de greve, eminentemente política, criar uma situação de embaraço para o Poder Executivo, legitimamente eleito e reeleito nas urnas.

Em seu informativo ( Boletim o Servidor) a direção abre o texto afirmando toda a sua incompetência e sua falta de compromisso histórico com a classe trabalhadora pública e com a consciência de classe. Pois esta é a primeira vez, segundo o próprio boletim, que a direção se propõe a comandar uma greve. E olha que governos anteriores sequer pagavam as horas extras feitas pelos funcionários. Foi o Governo Popular que zerou o banco de horas existente. Além de nunca na história desta cidade ter sido promovido concursos públicos para a categoria e 40% da força de trabalho da administraçnao até meados do primeiro mandato do Governo Popular, trabalhava sob contratos emergenciais, subordinados a interesses políticos eleitoreiros.

Somente estes dois aspectos demonstram que a direção sindical se coloca a serviço de uma tentativa de inviabilizar o Governo Popular, e pouco está preocupada com os interesses legítimos da classe dos servidores públicos municipais. Mas podemos ainda lembrar que o todas as reivindicações colocadas na palta de reinvindicação está sendo discutida pelo poder público, e na verdade, foi o sindicato, que covardemente se esquivou da mesa de negociação. E agora, no momento que a proposta está quase pronta, e está extremamente avançada naquilo que é anseio dos trabalhadores, vem o sindicato, querer contubar o processo, trabalhando com informações falsas e argumentos meramente desqualificadores da figura do Prefeito, de seu partido e dos aliados que compõe as forças populares da cidade.

Mas acreditamos na consciência e na capacidade de julgamento dos servidores. Vamos investir na informação aos trabalhadores e trabalhadoras. Vamos combater a desinformação e as mentiras continuando nossa luta.

3 comentários:

Rodrigo Pereira de Paula disse...

Sr Paulo, aqui são pouco seguidores que nem você mencionou, mas são 16 seguidores de qualidade e que trabalham para um governo popular justo é digno para todos, e se você não quer dar ibope para esse blog, então porque decidiu escrever aqui neste post.

Rodrigo Pereira de Paula disse...

Sr Pauloosni, veja o quanto esse governo já fez pela cidade, tinhamos 35% de ruas pavimentadas até 2005, agora chegamos a 61% em menos de 6 anos, foram implantados serviços esenciais como: SAMU, Programa Saúde da Família, Farmácia Popular, entrega de Materiais e Uniforme Escolares, coisas que não passado não tinham e agora tem. Ainda a mais obras para citar, se eu for ficar escrevendo o comentário vai ficar imenso, aqui fica somente alguns, então pense muito bem antes de atacar o Governo Popular que tanto faz para o povo Suzanense.

Anônimo disse...

Pode até ter feito algumas coisas pelo povo, mas para os funcionários não fez NADAAAAAAAAA...Se eu estiver enganada faça uma lista enorme para citar os benefícios que a categoria recebeu nos últimos anos,só não vale colocar o aumento do vale alimentação de 132 para 138...
E as ações promovidas por esta gestão são fruto do momento econômico que o país vive, e não reflexo da ótima administração do governo popular, vamos sair do mundo da lua, pois a realidade está aí, só não enxerga quem não quer...